Torcida Jovem com o SANTOS onde e como ele estiver

História

O Santos FC foi fundado no dia 14 de abril de 1912, por iniciativa de três esportistas da Cidade (Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior) que convocaram uma assembléia na sede do Clube Concórdia (localizado na Rua do Rosário- Atual Avenida João Pessoa), para a criação de um time de futebol.

Durante a reunião, surgiu a dúvida quanto ao nome que seria dado à essa agremiação. Várias sugestões apareceram: Concórdia, Euterpe ou Brasil Atlético. Mas os participantes da reunião aclamaram, por unanimidade, a proposta de Edmundo Jorge Araújo: a denominação Santos Foot-Ball Clube.

Rua do Rosário, endereço do local de fundação do clube

A primeira diretoria foi formada por:
Presidente - Sizino Patusca
Vice-presidente - George Cox
1º secretário - José G, Martins
2º secretário - Raul Dantas
1º tesoureiro - Leonel Silva
2º tesoureiro - Dario Frota

Os diretores eram: Augusto Bulle, João Carlos de Mello, Henrique Cross, Raymundo Marques, Cícero F. da Silva e Jomas de C. Pacheco.

O primeiro jogo ocorreu apenas em 15 de setembro daquele ano. O Santos venceu na estréia o Santos Athletic Club por 3 a 0. No entanto, em uma nova versão levantada pelo conselheiro do clube, Guilherme Gomez Guarche, aponta que o primeiro jogo teria ocorrido em 23 de junho de 1912 contra o combinado local do Thereza Team. Mas, o historiador oficial do clube, Francisco Mendes Fernandes, contesta a informação dizendo que esta partida foi um jogo-treino, sem caráter oficial.

Nesta partida contra o Thereza Team, o Alvinegro saiu-se vencedor pelo placar de 2 a 1, gols de Anacleto Ferramenta e Geraule Ribeiro. O Santos formou com Fauvel, Simon e Ari, Bandeira, Ambrósio e Oscar, Bulle, Geraule, Esteves, Fontes e Anacleto.

No jogo considerado oficial, em 15 de setembro, o adversário foi o Santos Athletic Club, mais conhecido como Clube dos Ingleses, hoje uma das agremiações mais tradicionais da Cidade, mas que não mantém uma equipe de futebol na atualidade. O Santos Futebol Clube venceu por 3 a 0. O primeiro gol oficial da história do clube foi marcado por Arnaldo Silveira.

No início de 1913, o Santos recebia um convite da Liga Paulista de Futebol para disputar o campeonato estadual daquele ano. Esta foi a primeira competição oficial disputada pelo clube. Sua estréia aconteceu no dia 1º de junho, diante do Germânia. O resultado, porém, não foi nada animador: derrota por 8 a 1. O Santos jogou com Durval Damasceno, Sebastião Arantes e Sydnei Simonsen; Geraule Ribeiro, Ambrósio Silva e José Pereira da Silva; Adolfo Millon, Nilo Arruda, Anacleto Ferramenta, Harold Cross e Arnaldo Silveira.

Edital de fundação do clube publicado no Diário de Santos

Três semanas depois, no dia 22 de junho, o time santista conquistava sua primeira vitória em uma competição. E logo diante daquele que viria a se tornar seu maior rival: 6 a 3 diante dos Gambas. E em pleno Parque São Jorge.

Ainda em 1913, foi disputado pela primeira vez, o Campeonato Santista de Futebol, contando com a participação do Santos, América, Escolástica Rosa e Atlético. O Alvinegro foi o grande campeão, com seis vitórias em seis jogos, 35 gols pró e apenas sete contra. Este foi o primeiro título da história do clube.

Desde os primeiros anos de existência, o quadro de futebol do Santos obteve êxitos memoráveis, tanto em jogos locais como internacionais. Seu primeiro título de Campeão Paulista aconteceu em 1935, após um declínio dois anos antes, em razão da criação do profissionalismo no futebol.

Em 1955, após 20 anos sem ser campeão, o Santos voltou a conquistar título, vencendo o Taubaté com a equipe formada por: Manga, Hélvio e Feijó; Ramiro, Formiga e Urubatão; Tite, Negri, Álvaro, Del Vecchio e Pepe.

No ano seguinte, chegaria à Vila Belmiro, trazido pelas mãos de Valdemar de Brito, o menino Pelé, de 15 anos, que deu de novo impulso à história do Santos, levando-o a conquistas que enalteceram o futebol brasileiro no planeta. O Santos de Pelé fez seu nome no exterior. Praticamente deu a volta ao mundo, encantando torcedores com o futebol mágico de seus craques. Formou um ataque memorável: Dorval, Mengávio, Coutinho, Pelé e Pepe. Nesse período, o Santos foi Bicampeão Mundial Interclubes (1962/1963), Bicampeão da Taça Libertadores da América (1962/1963), entre outras glórias.

Após a Era Pelé, o Santos Futebol Clube continuou seu caminho de glórias. Em 1978 formou um time campeão. Os Meninos da Vila, apelido dado pela juventude dos atletas da equipe, conquistaram o Campeonato Paulista de 1978. Destacaram-se na época Juari, Pita, Ailton Lira entre outros.

Após isso o time continuou conquistando títulos, como o Paulista de 1984 e a Taça Conmebol de 1998.

Mas, em 2002, ano em que o clube completou 90 anos, o Santos conquistou, pela sétima vez, o principal torneio nacional (o Campeonato Brasileiro). O time que conseguiu a conquista foi, basicamente, formado dentro da Vila Belmiro. Os Meninos da Vila viraram febre no Brasil inteiro e a dupla Diego e Robinho se tornou símbolo de um futebol vistoso e alegre. No ano seguinte, com a base mantida, o Peixe chegou aos vice-campeonatos da Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro.

Já o time principal conquistou novamente o Campeonato Brasileiro, sob a direção técnica de Vanderlei Luxemburgo e com Robinho, Elano, Ricardinho e Léo em campo.

A expectativa para o ano de 2005 era grande. O time manteve seus principais jogadores e o técnico Vanderlei Luxeburgo já direcionava seu trabalho para a conquista da Libertadores da América. Porém, nos últimos dias do ano, uma proposta irrecusável do Real Madrid (Espanha) levou o técnico para a Europa.

Em agosto de 2005, o Santos FC perdeu o craque Robinho, novamente para o Real Madrid, na maior venda do futebol brasileiro. No final do ano, Luxemburgo voltou ao Santos FC depois de uma temporada na Espanha.

Logo em sua primeira competição pelo Peixe, o Campeonato Paulista de 2006, Luxemburgo mostrou seu potencial e tirou o time do jejum de 22 anos sem um título paulista, com uma vitória por 2 a 0 sobre a Portuguesa de Desportos. Ainda em 2006, em outubro, a diretoria santista repatriou o meia Zé Roberto, que havia sido o melhor jogador brasileiro na Copa do Mundo de 2006.

A experiência e, sobretudo o talento do meia, foi fundamental para que o Peixe conseguisse o bicampeonato Pualista em 2007. Em uma final alucinante, o Santos FC derrotou o São Caetano e chegou ao título. O jovem Moraes, revelado nas categorias de base do Peixe, marcou o gol da conquista. Há 39 anos, o Alvinegro Praiano não conquistava o bi-paulista.

AS CORES DO CLUBE

Certamente, a grande maioria dos torcedores santistas não imagina que, nos seus primeiros meses, o clube era tricolor, tendo como cores oficiais o branco, o azul e o dourado.

Na prática, porém, os dirigentes do Santos encontravam enormes dificuldades para confeccionar camisas e calções nessas cores. Esse problema, aliado ao gosto discutível da combinação, fez com que esse assunto sempre fosse questionado.

Quase um ano depois, no dia 13 de março de 1913, na terceira reunião da diretoria, o sócio Paulo Pelúccio sugeriu que o clube passasse a adotar como cores oficiais o branco e o preto. Em defesa de sua idéia, disse que "o branco representa a paz, e o preto, a nobreza". E conseguiu aprovação geral dos presentes. Na oportunidade, o presidente do Santos, Raimundo Marques, apresentou os modelos da bandeira do clube, que passaria a ser "branca, diagonalmente atravessada por um faixa preta com as iniciais do Club em letras brancas".

Próximo Jogo

Santos F. C.

Estádio

Data e Hora
Qua 31/12 ás :

Tabela de Jogos

Confrontos

Próximo Jogo

Anuncie aqui

Loja Virtual

TOUCA TRADICIONAL

Torcida Jovem

TOUCA TRADICIONAL

Apenas

R$ 30,00

BONÉ TRADICIONAL

Torcida Jovem

BONÉ TRADICIONAL

Apenas

R$ 30,00

BONÉ TJ BORDADO (FECHADO)

Torcida Jovem

BONÉ TJ BORDADO (FECHADO)

Apenas

R$ 30,00

CAMISA MALHA JOVEM

Torcida Jovem

CAMISA MALHA JOVEM

Apenas

R$ 40,00

BONÉ BOB

Torcida Jovem

BONÉ BOB

Apenas

R$ 30,00

Os artigos da maior torcida uniformizada do Santos, você encontra aqui.

Visite Nossa Loja